Terça-feira, 25 de Setembro de 2007

Volta Salazar, estás perdoado.

Ligo o computador e acedo à internet. Abre no iGoogle, com destaques noticiosos Portugueses.

Tenho à minha frente um bloco de notas onde de há 10 dias pra cá anoto os títulos de cada dia.

Para quê perguntam? Para avaliar a frequência com que sócrates aparece nos títulos. Não falo do governo, falo apenas de sócrartes. Títulos como: "sócrates pensa isto...", "sócrates considera aquilo...", etc.

Assim, como se sócrates e o governo fossem mundos aparte, como se sócrates tivesse qualquer tipo de importancia pessoal se não fosse o facto de ser 1º ministro. Contabilizo apenas as notícias onde o nome aparece no título.

Em comunicação social, marketing e em publicidade aprende-se o nome disto: construção de imagem, culto do lider, culto da personalidade. Não viamos nada assim, com esta sistematização, com este despudor, com este proselitismo, esta fúria totalitária... desde...  bom, desde Joseph Goebbels e a sua propaganda pró Hitler.

Ainda veremos um dia Coelho ou outra das bestas negras do regime saudar o chefe à saida dum comício com um deslocado "avé sócrates!"

 

Feitas as contas, a media ronda as 3 notícias por dia. Com maior incidência na TSF, totalmente controlada pelo regime. Entramos no site e os título "socráticos" pululam como se de uma infestação de piolhos se tratásse.

 

E a caravana passa. As atoardas indulgentes do 1º ministro perdem-se no éter. E olhamos à volta... realmente tudo mudou: o centro de saúde está fechado. A escola local fechou, o hospital mais próximo já não faz partos, agora dedica-se aos abortos. Dizem que é por falta das condições ideais para apoio às parturientes, condições essas , deduz-se, já existentes em qualquer das velhas ambulâncias onde agora nascem os bebés!

Os professores estão em pé de guerra, os alunos tem sobrecarga horária, manuais impróprios, condições insalubres nas escolas. As listas de espera, que governos anteriores tinham conseguido, a grande custo, reduzir, atingem agora recordes olimpicos. Certas cirurgias já não se fazem. Emergencias de certas áreas estão condicionadas pelas necessidades das cirurgias: as equipas são as mesmas!

Um fantoche do regime em Lisboa, invertendo a sábia disposição que visava levar os proprietários a recuperarem os seus velhos prédios, proclama que doravante quem tem um prédio em mau estado paga, agaravado, um imposto já de sí pesado e injusto. Obviamente que os proprietarios, ao contrário deste sr. sabem fazer contas, com o imposto os predios serão fonte de prejuizo, logo mais vale declara-los inabitaveis, demoli-los e vender os terrenos aos especuladores i,obiliários.

Resta saber se não é esta a verdadeira intenção do presidente da câmara.

As sinistras ligações do regime com o sector imobiliário são conhecidas. Das negociatas na Ota até ao caso da operação furacão, em que apenas os empresários anti-regime foram investigados. O escândalo com os parques eólicos com concessões vendidas ao desbarato a empresas estrangeiras o que coloca um recurso vital (à falta de melhores alternativas) nas mãos de decisores externos. As más opções energeticas são aliás o pão nosso de cada dia.

Optou-se pela solução eólica como se fosse um maná dos deuses, como se não fosse por sinal a forma de energia mais cara de todas, incluindo a derivada do petroleo.

Isto em detrimento do gás natural, menos poluente que a energia eólica (que polui ao contrário do que se pensa: poluição sonora, visual, impacto ambiental, a produção das pás e elementos compósitos é uma industria poluente, a manutenção e instalação obriga à deslocação de maquinaria pesada por locais ecologicamente frágeis, etc.), o gás é ainda muito mais barato e eficaz. UMA ÚNICA turbina de alta potência produz 10 VEZES MAIS que qualquer dos nossos parques eólicos!!! E a electricidade resultante é muitissimo mais barata ao consumidor. Da opção eólica resulta ao invez andarmos todos a pagar as inumeras unidades aerogeradoras, quen por sinal tem um tempo de vida útil muito pequeno. Dentro de 20 anos apenas terão de ser substituidas, levando em conta o elevado custo unitário e reduzida capacidade individual de produção conclui-se que esta é uma forma cara de produzir electricidade. Considerando ainda que Portugal importa estas unidades, é facil compreender a falácia do governo. Trocamos o gás barato e eficiente, porque é um bem importado, pelo vento, que afinal não é de borla nem deixa de ser importado. Absurdo!!   no nosso pais o absurdo tem outro nome: sócrates!!

às armas!!!

publicado por balburdio às 12:14
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Junho de 2007

o cão vive!

Sobre mais uma das incontáveis telenovelas, em concreto a da fraude política e económica sobre a OTA, e não confundir com a outra questão que é saber se precisamos de um novo aeroporto ou apenas de deitar abaixo as construções "selvagens" que "deixaram" construir em plena rota de aproximação à pista, quiçá numa óptica psicopatológica associada a dinheiro fácil, leia-se ilegal, divertimento mórbido e a visão prespectivada de prédios em chamas, ou aquilo que diverte os corruptos do nosso país; sobre isto apenas um "quanta" de informação, meramente o suficiente para que os elementos sensíveis a este comprimento de onda passem para um novo estadio de ... precepção da realidade:

 

 

 


nota auxiliar de precepção: in ICAO: PIO 12/01: The perceived growth in aicraft travel has a documented correlation with so called "population to air offer gap", the diferential between offer and an already existant demand that coldn't be met previously. There is no much demand growth as much as there is a grouth in offer. This is also a result of deregulation, only noticeable in contries where it first toke place. Ou seja, o crescimento não é da procura, é da oferta. E aparentemente só se verifica em certos mercados onde a desregulamentação já foi feita à mais tempo. Ou seja, isto nada tem a ver com Portugal, país onde o governo manobra na sombra em prol da hegemonia da TAP face a concorrentes potencialmente ameaçadores: vide Air Luxor e PGA. De notar que Bélgica, Dinamarca e Suecia desceram (3 em 12), ou seja: a OTA traduz-se logo à partida a uma aposta de 3 para 4, com dinheiro dos contribuintes. De notar ainda que os aumentos mágicos preconizados pelos defensores da tese do novo aeroporto, só são materializados em 2 paises: Reino Unido e Espanha, por motivos circunstanciais, ambos ligados ao facto de serem: um o maior responsável pela procura turistica na europa, o outro pela maior oferta a nível mundial. Acresce a isto que o incremento do tráfego noutros concorrentes, mais fortes, reduz tendencialmente as prespectivas de um Portugal agarrado à tese da "bandeira" mas sem querer gastar os milhões necessários. Não XXX nem sai de cima. Já agora: de quem são os terrenos na OTA? Inúmeras fachadas, na sua diversidade, máscaras de um mesmo Portugal arqui-corrupto. Um estudo atento e apoiado conduz-nos à sombra do mal e à sua causa: Mário Soares
publicado por balburdio às 00:50
link do post | comentar | favorito
Sábado, 14 de Outubro de 2006

castigos corporais

A mentalidade de sopeira que grassa entre algumas detentoras de cargos oficiais continua a produzir resultados.

Pretendem agora alguns grupelhos meter no mesmo saco, os, por eles chamados "castigos corporais", os maus tratos e as ofensas sexuais.

Isso mesmo, dar uma palmada no menino que se porta mal é, segundo estas iliuminárias, um acto ilícito!

Tentei perceber isto, mas é impossível. A mesma sociedade que pretende banalizar o aborto, quer agora acabar com as bofetadas, tabefes e afins. Ridículo?

Para alguns, aparentemente, não é. Vivemos numa sociedade incoerente, desequilibrada e pouco inteligente. É uma sociedade que de reforma de mentalidades em reforma de mentalidades caminha para o abismo.

O abismo da falta de civísmo e de educação; da perda do respeito a quem ele é devido; da perda de autoridade; do colapso das instituições basilares da sociedade, como a família, a igreja e a escola.  Perdendo os país a capacidade de educarem livremente as suas crianças, por um lado porque a nossa sociedade não protege a família permitindo aos país o tempo necessário para ela, por outro porque não é defendido o princípio da autoridade parental; e não sendo a sociedade em sí já capaz de se substituir aos pais, pergunto-me: Quem educará agora as crianças?

Cavamos hoje a nossa própria sepultura, o futuro, de que já temos muitos maus augurios, reserva-nos grandes problemas. Mas não surpresas, é fácil prever o que sucederá.

As mentalidades não mudam sem mudarem as realidades, e a realidade frequentemente é imutável, principalmente quando remete às leis da natureza, da lógica e mesmo do mero senso comum.

Agressões selváticas a crianças, da parte de pais em desespero ou enlouquecidos. Agressões a crianças por parte de terceiros sem paciência para aturar abusos. O agudizar da já presente disfuncionalidade comportamental das crianças nas escolas e mesmo em casa.

E depois? Quando crescerem engrossaram o rol dos adultos destituidos de formação cívica, de princípios morais, irresponsáveis crónicos, anti-sociais, etc. Isso levou já hoje a um clima de permanente mal estar e agitação social que culminará certamente no caos duma sociedade agressiva, violenta e sem moral. A única solução será então uma guerra civil ou o colapso da nossa sociedade.

Ao pretender a utopia, gera o caos (lei da entropia); ao forçar as mentalidades induz nestas a reacção contrária (3ª lei da física).

Esta sociedade está morta!

Urge mudá-la

publicado por balburdio às 13:02
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 13 de Outubro de 2006

Acordem!

«Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer -
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo-fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quere.
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

É a Hora! »

Fernando Pessoa - in Mensagem

 

É a Hora!

publicado por balburdio às 22:41
link do post | comentar | favorito

Que liberdade?

«Que país pode preservar as suas liberdades se os seus governantes não são avisados de tempo a tempo, de que o seu povo preserva o espírito da resistência?» -Thomas Jefferson Num país dito democrático, mas onde a esquerda no poder, assumindo-se finalmente como ditadura autocrática governando para sí mesma, afastando-se dos reais desígnios da nação, desprezando a vontade soberana do povo e reduzindo progressivamente a qualidade de vida e o nível de felicidade geral, é inacreditável que todo um povo se mantenha calado e quieto como se de ovelhas guardadas pelos lobos se tratasse. Pergunto: Onde estão os homems corajosos dispostos a mostrar o seu «espírito de resistência»? Castela aqui ao lado, país mediocre de gente mediocre, que conseguiu, por sinistras vias tortuosas, deitar a pata sobre gentes bem melhores que eles, prospera. E prospera porque os governantes, de quando em vêz, vão pelos ares em mais um atentado à bomba. Porque eles, lá, tem medo do povo. Aqui não! O povo cá pode mudar de partido no governo, mas não pode mudar os partidos, não pode mudar o estado, não pode mudar o regime e não pode mudar o seu próprio destino. Em Castela os deputados armam-se em parvos e entra um Tejero Molina pelo congresso de pistola na mão para lhes avivar a memória. O Rei e a nação sairam mais fortes e o resultado é hoje patente. um povo que se deixa abusar continuamente só promove esse mesmo abuso. Já um povo que não se deixa pisar e que está disposto a responder de forma violenta contra os seus dirigentes, é um povo livre. Isto é principalmente verdade em regimes democráticos, já que em outras circunstancias pode o povo ver-se reduzido à impotência por uma minoria mais forte que ele. Não vivemos em ditadura, os nossos dirigentes são mais fracos que nós, as forças que poderiam defender o regime estão elas próprias desiludidas e divididas. Muitos dos seus elementos activos alinhariam certamente com o povo na luta contra os seus dirigentes. Só pelo combate pode o povo mudar este regime, seja ela mais pacífica pela via da desobediência civil, ou mais violenta na forma do terrorismo popular. Aquilo que é justo crime quando praticado por indivíduos em seu benefício próprio, não o é mais quando praticado pelo povo e pela sua liberdade. Mas onde estão os homems que preservam o seu espírito de resistência?
publicado por balburdio às 16:43
link do post | comentar | favorito

Novo referendo

IVG?
E desde quando é que um aborto é verdadeiramente voluntário?
Para qualquer pessoa minimamente inteligente isto deveria bastar.

Outras liberalizações, na mesma lógica de «no meu corpo(e mente) mando eu!» poderiam ser:
- o suicídio
- a eutanásia
- o infanticídio em caso de deficiência grave
- a auto-mutilação
- os sacrifícios rituais (em atenção à liberdade religiosa)
- a desclassificação como tal de todas as doenças mentais
- a redução da idade maior para os 5 anos de idade
- o tráfico de orgãos de viventes, desde que por expressa vontade do dador
- a prostituição, em qualquer idade
-...
enfim!

IVG? Não obrigado!

Já agora...
alguém sabe quanto é que custa um referendo como este?

publicado por balburdio às 16:34
link do post | comentar | favorito

Código Da Vinci, a verdadeira conspiração!

Este calhamaço, relatando no fundo uma historieta árida e muito batida, é um dos maiores sucessos editoriais dos últimos tempos. Tal fica-se em grande medida a dever ao baixíssimo nível cultural desta nossa sociedade materialista, mas também ao apoio que ela conseguiu obter de poderosas máquinas de propaganda que influenciam decisivamente a opinião pública.

A realidade é que, sob a aparência de um inofensivo, e ligeiro, romance - que agora também está a ser apresentado em filme (como forma de prolongar o efeito) - o livro serve fundamentalmente o sinistro propósito de divulgar uma doutrina profundamente anti-cristã, para além de atacar ferozmente a Igreja Católica.
O autor, Dan Brown toma alguns factos históricos pela rama e deturpa-os, inventa outros, mistura tudo num contexto de ficção, tornando difícil, mesmo para um leitor atento, distinguir o verídico do ficcional e inclusivamente recorre pura e simplesmente à falsidade ao afirmar no início do livro, fora do contexto de ficção, que são verdades puras efabulações.
Lançado o mote, este lacaio dos judeus trata de denegrir à saciedade a instituição católica, procurando ao longo do livro denunciar uma conspiração cristão contra a humanidade, sem contudo fornecer uma explicação plausível sobre os motivos de tal conspiração.

O autor, não podendo apresentar Jesus Cristo como uma mulher (outros menos cautelosos já o fizeram) inventou-lhe uma, servindo-se para tal da figura de Maria Magdalena. Por sinal uma figura de que só temos informação atravéz da Biblia num contexto que em nada poderia ter a ver com uma relação matrimonial.
Desde à muito que os Judeus, no intuito de anularem o ascendente moral do Cristo, que tantos dissabores lhes causou por culpa dos homens, pretendem desmistificar a sua imagem, ligando-o a esta mulher. Nítida está ainda a memória da "Última Tentação de Cristo" obra de outro judeu, Martim Scorcesse. A questão judaica é simples, se à religião Católica Apostólica Romana muitos apontam o dedo da contestação, já a imagem que Jesus Cristo suscita é, mesmo para outras religiões, consensualmente positiva em extremo. Para a quase totalidade das pessoas, independentemente da fé e milagres à parte, Jesus é fundamentalmente alguém intrinsecamente bom e com uma mensagem que vai ao encontro dos mais elvados ideais humanistas. Isto sempre foi algo intolerável para os Judeus, quantos não chegavam a morder a cruz que eram obrigados a ter em casa para ocultar a sua verdadeira crença?
Não foram eles que afastaram os crucifixos das escolas? Não foram eles que afastaram a Igreja dos meios de comunicação (vide o caso TVI)? Não são eles que escrevem estes livros, que realizam estes filmes?
Não são eles que mantém o Ocidente cristão, refém de uma guerra de civilizações contra o Islão e onde ainda acabam por surgir aos olhos do público como paladinos da civilização contra a barbárie?
Nesta guerra acedem o ódio dessa religião medieval e portanto bárbara aos nossos olhos, expondo-a ao nosso mais reprovador escrutínio, no intuito maquavélico de fomentar a aversão a todas as formas de obediência à fé religiosa, inclusivamente à nossa.
Escondem portanto a sua, algo facilitado por séculos de penosa experiencia.
Com isto procuram afastar-nos de Jesus e da sua moral absoluta, procuram enfraquecer-nos e dominar-nos, servindo-se de nós para dominar o mundo alicerçados na sua diáspora milenar e no seu propósito de prosperar sobre todas as outras raças do mundo.
As mesmas raças por eles tidas como ímpias, pois convém recordar que no contexto das principais religiões, a Judaica é a única que impõe critérios raciais.
É também a única que não possui uma mensagem de valores, impondo pelo contrário o primado da cultura e do conhecimento sobre (e à custa de) a moral e o humanismo. Onde é que eu já ví isto antes?
Nesta era a que chegámos, mais conduzidos do que por nossa vontade consciente, ameaça-nos um imenso mal. Não o aparente, do choque de civilizações, onde, convenhâmos, enfrentamos com o nosso esmagador poderio tecnológico, um adversário preso à idade das trevas; mas um invisível, o de um inimigo entre nós, oculto em mil capas de perfídia e outras tantas páginas de um extrapolado romance de cordel!


Como sugestão (e remédio imprescindível) recomendo a leitura de:

Título: Código Da Vinci - EMBUSTE E FALSIFICAÇÃO
Autores: Gustavo Solimeo, Luís Solimeo
Editora: Livraria Civilização Editora
Porto, Maio de 2006
125 páginas
ISBN - Nº 972-26-2435-0

Porque depois de "Código Da Vinci" todos precisamos de um bálsamo para a alma!

<iframe width=100% src="http://cao.blogs.sapo.pt/comentar?entry_id=1045814"></iframe>

publicado por balburdio às 16:33
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 31 de Janeiro de 2006

Juventude Rasca

publicado no Casmurro

in dicionário de soundbytes...
...
JUVENTUDE
1. Tem Secretaria de Estado, cartão jovem, descontos na compra de habitação, shots em profusão e inconsciência em matéria de preservativos. 2. «No meu tempo não havia preservativos a cores nem com sabores. Esta malta jovem nasceu com o cu para a lua…». 3. Faz a sua educação afectiva, e cultural (vide os «D’Zrt»), nos Morangos com Açúcar, que por essa razão tem de durar pelo menos mais uns 15 anos, para acompanhar o percurso de uma geração. 4. Com a crescente precocidade sexual, bem patente na franqueza desabusada da linguagem e na erotização do look das pré-teenagers, aos 10 anos já sabe quase tudo. 5. Vai à missa nos centros comerciais e reza por telemóvel (no que toca aos sms, consegue escrever quase todas as palavras do português só com o K e o X). 6. Os sms servem também como recusa subversiva do arcaísmo implicado na situação pedagógico-didáctica da «sala de aula» com quadro negro - ou de como o choque tecnológico já chegou há muito à escola. 7. Só come porcarias e acha que o MacBurger é um prato típico alentejano. 8. Estuda on line, razão pela qual o conceito de plágio se tornou hoje obsoleto. 9. O MP3 e, mais recentemente, o I-Pod, também ajudam à sua amnésia em relação às questões da propriedade intelectual. 10. Não suporta filmes em que cada plano dure mais de um décimo de segundo. 11. Lê muito, em regime de zapping, saltando da primeira frase do livro para a última e recuperando depois uma ou duas pelo meio. 12. Com um esgar taxativo: «Só vestem roupa de marca, usam todos telemóveis 3G, passam a vida em discotecas e depois não podem pagar propinas na universidade?! Coitadinhos…»


Depois de lêr isto percebi o porquê de Portugal ser o ÚNICO país da CE em crise...
... é que neste momento quem nos governa... já é a juventude rasca que o outro falava!!


publicado por balburdio às 18:06
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

O Debate Presidencial Censurado

Eram 10 horas da matina e como sempre o cão andava na sua eterna demanda por novos candeeiros ainda por estrear.
Vá-se lá saber porquê, nesse dia a cruzada diária levou-o para o pardieiro do lumiar. Tinha finalmente localizado um alvo impoluto pronto para ser marcado quando o surpreendeu um espectáculo assaz insólito.
Á porta dos estúdios de televisão tinham estacionado uma série de automóveis topo de gama e o local estava literalmente pejado de fulanos engravatados, vestidos de preto e com óculos escuros todos da mesma marca.
Para o cão aquilo ou era uma manifestação de porteiros de bares de alterne ou algo se passava.
Como a curiosidade só faz mal aos gatos o cão, como não quer a coisa, aproximou-se, e meio à socapa conseguiu entrar no estúdio, pela porta do cavalo. Sorte que o cavalo ainda não devia ter chegado e a dita porta estava aberta.
Olhou em volta, farejou o ar e viu entrarem os figurões, então fez-se luz.
Eram os vários candidatos à presidencia da republica, vinham participar num debate secreto.
Por uma conversa interceptada pelos ultra-apurados ouvidos do cão ficamos a saber que se tratava de um debate que quase de certeza nunca iria para o ar.
Cavaco Silva e Loucão opunham-se ao debate em grupo. Cavaco publicamente e Loucão em segredo enquanto que frente ás câmaras vinha criticando a falta de coragem de Cavaco. Afinal ele ainda tinha mais medo de um debate a 5.
Todos tinham, contudo, acordado em segredo fazer um único debate em grupo, para o caso de já não ser possível realizar o debate na eventualidade de Cavaco e Loucão mudarem de estratégia. Se o fizessem o debate iria para o ar.

O cão viu-os sentar e, deslizando como uma sombra, alcançou a primeira linha de cadeiras da assistência, que como as demais estava vazia.
O que se segue é uma transcrição do que conseguiu ouvir:

Apresentador: -Meus senhores, muito boa noite...blá, blá, blá...começaria então por sí, Senhor Mário Soares e...

Mário Soares: -...Doutor!, Senhor Doutor!! Sim, não se esqueça que sou doutorado.

Jerónimo de Sousa: -Eh! Já cá faltavam os doutores e engenheiros!! Se é para me melindrarem tirem o cavalinho da chuva que para os vossos doutoramentos chega-me a minha formação em afinação de máquinas...aliás o que este governo precisa é de uma afinação...

Chico Loucão: - É pá, ó Jerónimo, deixa-te mas é de merdas, o teu partido bem que te podia arranjar um desses cursos na URSS!! Não foste porque não quiseste...

Apresentador:- Ehh...bem...eu...em, senhores, meus senhores vamos ter calma e respeitar o alinhamento. Todos terão oportunidade para...

Cavaco Silva: -Por falar em alinhamento, gostaria que me explicasse por que diabos deu a primazia ao meu adversário. Mais valia ter começado por um dos outros, afinal eles só cá estão para entreter, o verdadeiro debate é entre mim e o Mário...

Mário Soares: -Pôrra António, já te disse que tens de me tratar por Doutor Mário Soares, Mário é lá fora caraças...

Manel Alegre: -Sim, Cavaco, bem sabemos que ele na intimidade é uma coisa e na praça pública é outra. A mão que estende para nos cumprimentar é afinal a mesma que segura o punhal que nas costas nos quer cravar, o abraço que nos dá pela frente é o...

Jerónimo de Sousa: -Olha-me isto...eu se soubesse que vinha para uma sessão de poesia tinha bebido outro café. Caramba, não há paciência...

Apresentador: -Meus Senhores! meus Senhores, um pouco de ordem, peço-vos...Bem, sendo assim talvez possa começar por sí, Doutor Jerón...Ahhh, senhor secretário geral...bem, Jerónimo de Sousa...sim, dizia eu que...

Chico Loucão: -Desculpe lá mas já que eu aqui fui quem falou menos deveria ser eu a começar, não é por nada mas nestas coisas há que ser rigoroso.

Apresentador: -Bem, então talvez...

Jerónimo de Sousa: -Nada disso meu amigo, nada disso meu amigo, nada disso...ah, bom! Nem pensar, o senhor acabou de falar e com isso, pelas minhas contas, passou a estar em vantagem, agora sou eu quem começa, assim é que está bem.

Manel Alegre: -E que tal começar eu, poderia fazer aqui uma pequena improvisação, talvez uma cópia de um poema da Sofia, de minha autoria e que ela gostava muito ou não fosse uma obra original de Florbela Espanca??!

Mário Soares: -Poupa-me pá, já me bastam os jantares a que iamos antes de te dar prá política!!

Alegre: -Como?!!?!? Antes de me dar prá política??? Fica tú sabendo ó Soares, doutor 'honoris causa' da mula russa, que ainda tú andavas entretido a saltar ao eixo já eu tinha na minha alma a veia de...

Cavaco Silva :-Bem sabemos, aliás isso deve ter sido contemporâneo daquelas pegadas que iam lixando a minha obra na auto-estrada Lisboa-Oeiras, ou foi na Oeiras-Amadora??
humm, se calhar foi na Damaia-Odivelas...

Loucão: -Isto é indecente, este tipo aproveita-se dos disparates do outro para vir práqui atirar-nos à cara a porcaria das obras dele. Aliás, vou-me embora, não aturo estas merdas.

Apresentador: -Como??? hamm? mas, vai-se embora? mas...

Cavaco Silva :- Ah! deixe-o lá ir-se embora, ele também só cá estava a empatar o verdadeiro debate. Se o que precisamos é de palhaços para entreter ainda cá ficam 3.

Manel Alegre (contando pelos dedos): Humm? Como é que é? 3? Mas... eu e o Jerónimo só somos dois, quer-me a mim parecer que mais uma vêz o professor se enganou na contabilidade!

Cavaco Silva :- Meu caro, eu raramente me engano e nunca tenho dúvidas...ou é ao contrário? Bem, não interessa! De qualquer forma há aqui um 3º palhaço, alguém que se auto proclama doutor mas que não passa de um reles bacharel em direito com o curso mal tirado.

Mário Soares :-Desculpa lá pá, mas eu não tirei o curso numa qualquer universidadezinha da treta como tú, eu cá sou licenciado pela Sourbone de Paris meu amigo!

Jerónimo de Sousa :-Senhor Bône?? Que é isso, uma cervejaria? Se isso fosse assim eu era 'magna cum laude', há, há, há!

Loucão(reentrado) : -Só cá voltei por que me esqueci de levantar dinheiro, fui alí ao lado beber um conhaque e agora não tenho um chavo pra pagar. Alguém me desenrrasca uma milena?

Jerónimo de Sousa :-Epá toma lá 2 e pede um bagaço pra mim que eu tb vou contigo... já só cá fica com um palhaço senhor professor!

Manel Alegre: -Sózinho e abandonado, o último dos palhaços!... E o meu destino! mas um homem quando é homem com O grande segue...

Mário Soares :-Epá calem-me esse fulano senão quem vai beber um bagaço sou eu.

Cavaco Silva :-Tenho uma ideia, vamos mesmo, eu bebo um cházinho se o meu caro apresentador oferecer e podemos fazer o debate lá.

Apresentador :-ahh, um chazinho?? Bem, enfim, ... pois, que remédio...

Manel Alegre(sózinho no palco) : -E deixaram-me só... abandonaram-me...mas eu não vou atrás... eu fico!!!... de pé...ahhh! aliás... Sentado!!
Sem medo!! Eles que bebam os conhaques e essas bebidas finas, para mim é a cicuta! venha ela!! ....Sem medo!!!. Um homem que é homem...

Nessa altura o cão seguiu o exemplo e fugiu dalí pró bar vizinho. E em boa hora o fêz, Loucão estava a pagar rodada atrás de rodada. Já se tinha esquecido que não tinha dinheiro, estes intelectuais!!!!


publicado por balburdio às 21:55
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 24 de Novembro de 2005

Sardinha Assada de Benavente

A sardinha assada de Benavente tem lugar no último fds de junho, na vila Ribatejana de Benavente.
Festa, toiros, sardinhas, tinto, e muita animação são a promessa da actual comissão executiva.
Para saber mais: www.sardinhassada.com
publicado por balburdio às 20:34
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
26
27
28
29

30


.posts recentes

. Volta Salazar, estás perd...

. o cão vive!

. castigos corporais

. Acordem!

. Que liberdade?

. Novo referendo

. Código Da Vinci, a verdad...

. Juventude Rasca

. O Debate Presidencial Cen...

. Sardinha Assada de Benave...

.arquivos

. Setembro 2007

. Junho 2007

. Outubro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Janeiro 2005

. Outubro 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds